quinta-feira, 24 de junho de 2010

DROGBA

Polêmico em campo, Drogba tem vida discreta fora dele, investe em caridade e ajuda a pacificar a Costa do Marfim

DOS ENVIADOS A JOHANNESBURGO
Existem hoje jogadores melhores do que Didier Drogba, 32. Mas é difícil o futebol atual ter alguém tão interessante fora de campo quanto o atacante da Costa do Marfim, adversária do Brasil hoje.
Em tempos de pregação religiosa nos gramados, atletas apolíticos, escândalos sexuais e muita opulência, o jogador do Chelsea esbanja tolerância religiosa, envolve-se em questões políticas, tem uma vida pessoal "normal" e faz caridade com o próprio dinheiro, não só emprestando seu prestígio pessoal.
No ano passado, Drogba acertou contrato de patrocínio com a Pepsi de cerca de US$ 4,5 milhões. O dinheiro foi todo para a construção de um hospital em Abidjã, a principal cidade da Costa do Marfim. A obra deve ficar pronta no ano que vem e hoje é a prioridade do atacante.
"Visitei um hospital em Abidjan e fiquei chocado com as condições terríveis. Nós ouvimos coisas sobre doenças horríveis, mas os garotos que estavam ali morriam de diabete porque não havia insulina disponível", disse Drogba à imprensa inglesa quando da decisão de investir na construção do hospital, que terá 200 leitos.
O marfinense ainda é embaixador da ONU, função em que tem como prioridade a divulgação de campanhas contra a Aids -em uma delas tem como parceiro Bono Vox, vocalista da banda irlandesa de rock U2.
O atacante também faz ações contra o racismo.
Drogba teve papel importante na pacificação da Costa do Marfim após guerra civil que devastou o país africano.
Quando o país se classificou para sua primeira Copa, a da Alemanha-2006, após jogo contra o Sudão, Drogba procurou as câmeras que filmavam o jogo e mandou recado aos compatriotas, então divididos entre cristãos e muçulmanos e norte e sul.
E fez um discurso que foi repetido por anos e virou célebre em seu país.
"Povo da Costa do Marfim, por favor coloque suas armas no chão, organize eleições, e as coisas vão ficar melhores", declarou o atacante, que forçou o presidente do país a marcar jogo da seleção na região Norte, onde estavam seus opositores.
Com esse perfil, Drogba foi incluído na última lista da revista "Time" que aponta as cem pessoas mais importantes do mundo. Foi um dos escolhidos para estar na capa e também era o único jogador de futebol relacionado.
Intimidade com a fotografia não é novidade para o atacante. Ele posou de cueca para ensaio da revista "Vanity Fair". Apareceu na capa ao lado de Cristiano Ronaldo, o que teria provocado ciúme no atacante português.
Sobram empresas interessadas em patrocinar Drogba. Além da imagem de ativista social, conta a seu favor o fato de não ser personagem de escândalos sexuais, bastantes comuns no futebol inglês.
Drogba é casado há quase dez anos com mulher nascida no Mali, que conheceu em Paris. Com Alla, muçulmana, tem quatro filhos.
(EDUARDO ARRUDA, MARTÍN FERNANDEZ, PAULO COBOS E SÉRGIO RANGEL-FOLHA DE SÃO PAULO)

Um comentário:

edson disse...

Que bom se todas pessoas no mundo despertasem para o próximo (e consequentemente a si mesmo) >>>Vou fazer uma campanha pro Baianim despertar e doar pelo menos 5% do que ele gasta em loteria, bingo, jogo do bicho e rifa para doar ao próximo >>>Seja com 5 pães... Isso é seiro!!!